ANTI FRAUDE NO E-COMMERCE – ESHIELDBR

ANTI FRAUDE NO E-COMMERCE

seguranca

O antifraude no e-commerce está ligado a proteção de um conjunto de dados, cujo objetivo é preservar o cliente e a empresa. E à medida que as venda online cresce e faz mais parte de nosso dia a dia, nasce a necessidade de uma conscientização na importância de proteger informações digitais. Ou seja, os clientes atuais esperam por segurança e confidencialidade de suas informações privadas digitais.
Como a internet é um dos maiores meios de venda, faz com que se tornem vulneráveis a uma variedade de ataques contra seus sistemas, que se bem-sucedido, podem causar um grande prejuízo e por consequência até o encerramento da empresa. Assim, mais que nunca é necessário apresentar mais segurança e controle e consequentemente evitar erros, fraudes e interrupção nos serviços que levam a grande perda financeira e à diminuição da confiança do cliente.

Atualmente detectam-se muitos casos em que as pessoas buscam compras em sistemas de e-commerce e acabam com seus dados copiados ou clonados gerando percas tanto para os clientes quanto para as empresas. Apesar de todas as atualizações da tecnologia demanda de tempo, recursos financeiros e esforços, já que, ainda é muito difícil localizar esses criminosos cibernéticos. A preocupação está mais nos criminosos do que com medidas preventivas de segurança.

Para que não ocorram tantas percas sendo este um dos principais objetivos da antifraude em comércio eletrônico é necessário pensar em proteção. Ou seja, seu fundamental objetivo é restringir o acesso as informações e recursos somente para os principais que estejam autorizados a ter esse acesso. E nesse contexto podem-se verificar quesitos elementares como a confidencialidade ou privacidade com o intuito de proteger ou controlar que vê as informações e sob quais condições, assegurando que a informação só será acessível explicitamente a pessoas autorizadas, ou seja, garantindo a identificação e autenticação das partes envolvidas.

Outro ponto é a integridade sendo está a parte certificadora de que as informações não foram alteradas durante a transmissão dos dados. Logo à disponibilidade seria a certeza do provimento do serviço de e-commerce sob a demanda. Um bom exemplo de ataques contra a disponibilidade é a sobrecarga provocada por usuários ao enviar enormes quantidades de solicitação de conexão implicando em pane nos sistemas.

Em termos de confiabilidade está em questão a solidez, ou seja, mesmo em condições adversas tem-se a capacidade em manter em nível aceitável o desempenho do software ou sistema e com eficácia. Já a autenticidade visa à verificação da identidade de uma pessoa ou agente externo, e assim, atestar com precisão a origem da informação. E por último a não repudio da informação, com isso tem-se a certeza de que nenhum dos correspondentes poderá negar a transação.

Dessa forma, garantir-se-á a segurança e disponibilizando a informação para os devidamente autorizados, a não destruição ou adulterações das informações mantendo o desempenho do sistema corretamente e a disponibilidade diz que os serviços/recursos do sistema estão disponíveis sempre que necessários.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *